Pular para o conteúdo
« Voltar

Magistrados do sul de Santa Catarina registram bons índices de produtividade em 2018

11/01/2019 18:19
3244 visualizações

Cinco juízes que atuam no sul catarinense estão entre os mais produtivos do Estado em 2018, segundo levantamento realizado pela Corregedoria-Geral de Justiça (CGJ). Dos 12 juízes que aparecem na relação a região sul é a que conta com o maior número de magistrados em destaque. O juiz Marlon Jesus Soares de Souza, titular da Vara da Família, Órfãos, Infância e Juventude da comarca de Criciúma, é o mais produtivo em sua matéria. No último ano ele proferiu 1.764 sentenças e 2.223 decisões interlocutórias, somando quase quatro mil decisões.

Natural de Araranguá, o juiz iniciou sua carreira na magistratura em 2002, atuou também nas comarcas de Santa Rosa do Sul, Turvo e Araranguá. Para ele, parte deste feito, além do seu trabalho, se atribui a sua equipe dedicada e competente. "Já sabia que tínhamos uma produção alta, mas a surpresa foi ser a maior do Estado em Vara de Família. Recebemos a notícia como um estímulo para produzir ainda mais", afirma. Na opinião do magistrado, a produtividade acontece, entre outras coisas, através da construção diária de um relacionamento de confiança com sua equipe. "Confiamos muito uns nos outros e no trabalho realizado na Vara da Família temos uma família de servidores. Além disso, trabalhamos com uma matéria que traz uma certa carga emotiva e temos que buscar construir um ambiente leve e tranquilo", pontua.

Além do trabalho realizado pelos profissionais que compõe a Vara, Souza também destaca a importância da parceria necessária com a promotoria, defensores públicos e advogados. "É um trabalho que vai além da própria equipe, é uma engrenagem que tem que funcionar bem para o andamento dos processos e construção das audiências. Por isso acredito que não é mérito de uma única pessoa, é um trabalho de cooperação com todos que estão envolvidos".

Mesmo com o reconhecimento pela produtividade, o titular da Vara da Família da comarca de Criciúma também destaca que a resolução total dos conflitos é uma de suas prioridades. "Na Vara da Família nem sempre os números são o mais importante. É necessário certo tato e experiência. As questões às vezes não são complexas juridicamente, mas são complexas pela vida dos envolvidos e por envolverem emoções e valores pessoais. É difícil tocar em certas questões, deve-se ter muito cuidado e saber ouvir as pessoas", ressalta. Outros nomes de destacam na região

Mais quatro magistrados do sul catarinense aparecem no levantamento da CGJ. Entre as comarcas de entrância final com cinco varas, se destacou o juiz Rafael Steffen da Luz Fonte, titular da 3ª Vara Cível da comarca de Araranguá. Já nas comarcas de entrância final com duas varas, o juiz mais bem avaliado foi Evandro Volmar Rizzo, diretor do foro e titular da 2ª Vara da comarca de Sombrio. O juiz Manoel Donisete de Souza da Vara Única da comarca de Turvo foi o magistrado mais produtivo entre as comarcas de entrância inicial e o magistrado Antonio Marcos Decker, atualmente respondendo pela Vara Única da comarca de Capivari de Baixo e pela Vara da Família, Órfãos, Infância e Juventude da comarca de Tubarão, foi considerado o juiz substituto mais produtivo.

Fotos: Fernanda de Maman/Assessoria de Imprensa do TJ/Região Sul
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)
Textos: Américo Wisbeck, Ângelo Medeiros, Daniela Pacheco Costa e Fabrício Severino