Pular para o conteúdo

Especialista dá dicas práticas de como melhorar o ambiente de trabalho no Judiciário

12/04/2019 18:44
9248 visualizações

Como melhorar a qualidade de vida a partir de algumas mudanças no ambiente de trabalho? Como ter mais conforto, mais segurança e ser mais produtivo?  O que fazer para evitar a fadiga, o estresse, erros e acidentes? Essas questões foram debatidas durante a Semana da Saúde, iniciativa inédita no Poder Judiciário catarinense, encerrada nesta sexta-feira (12/4). Durante cinco dias, na Capital e em várias comarcas do Estado, magistrados e servidores participaram de palestras e de atividades práticas sobre ergonomia, o processo de adaptação do trabalho ao homem.

José Eduardo Cacese Shiozawa, diretor do Setor de Saúde do TJ, comemorou a grande adesão dos funcionários e magistrados. "Conseguimos atingir o nosso objetivo: levar informação sobre a promoção da saúde e a prevenção de doenças; um passo importante para melhorar, no dia a dia, a qualidade de vida dos trabalhadores", disse Shiozawa. 

Na Capital, servidores e magistrados tiveram à disposição uma estação de trabalho - montada no hall do Tribunal - para tirar dúvidas com especialistas. Foram realizadas ainda dinâmicas, rodas de conversa e palestras sobre o tema. Nas comarcas de Lages, Joinville, São Francisco do Sul, Criciúma, Içara e Blumenau foram ministrados workshops sobre como corrigir hábitos do cotidiano para evitar patologias crônicas, como a lesão por esforço repetitivo (LER) e o distúrbio osteomuscular relacionado ao trabalho (Dort). Em todas essas ocasiões, houve a participação de profissionais da SC Saúde, parceira do evento.  

A fisioterapeuta Vanessa Zomer Femili, chefe da Seção de Ergonomia da Diretoria de Saúde do TJ, fez a palestra de encerramento da Semana, realizada às 15h na sala de sessões Teori Zavascki, na sede da Corte, com transmissão ao vivo para todo o Estado. "No Poder Judiciário, as maiores causas de afastamento do trabalho são problemas psicológicos e problemas osteomusculares. Às vezes, esses dois fatores estão interligados", explicou Vanessa. Por isso, é fundamental conhecer as possibilidades e as maneiras corretas de adaptar o ambiente de trabalho, levando sempre em conta o biotipo de cada pessoa.

Ao contrário do que se pode imaginar, as mudanças não são complicadas. Além de uma análise científica abordando os diferentes tipos de ergonomia (física, cognitiva e organizacional), Vanessa deu dicas de postura, de como sentar, como ajustar a tela do computador à altura dos olhos e como regular corretamente a altura da cadeira em relação à mesa. Falou ainda da importância de ter sempre um apoio para os cotovelos, do uso de acessórios como almofadas de teclado e mouse, da maneira correta de usar o telefone, da importância de se movimentar a cada 20 minutos durante a jornada de trabalho e também da iluminação, temperatura e níveis aceitáveis de barulho na sala.

Ao final, o profissional de educação física Daniel Mário Duarte fez exercícios práticos com a plateia. "Iniciativas como essa são muito importantes porque mostram que, às vezes, problemas sérios podem ser evitados com mudanças simples", disse a servidora Camila Vieira. 

Fotos: Divulgação/TJSC
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)
Textos: Assessoria de Imprensa/NCI