Pular para o conteúdo
« Voltar

Reeducandas do Presídio Feminino de Tubarão agora frequentam aulas de crochê

13/03/2018 10:51
4913 visualizações

O Conselho da Comunidade de Tubarão, órgão auxiliar na área da execução penal, em conjunto com a Pastoral Carcerária e com apoio da juíza Liene Francisco Guedes, titular da 2ª Vara Criminal, realiza trabalho de apoio junto aos estabelecimentos prisionais masculino e feminino daquela unidade jurisdicional. No Presídio Feminino, por exemplo, desenvolve o projeto Crochê - Ponto Arroz.

A artesã Isabel Machado, residente em Imbituba, decidiu levar aulas de crochê às detentas do Presídio Feminino de Tubarão. O trabalho é voluntário e, a princípio, atenderia 10 mulheres. O interesse foi maior e precisaram ser criadas duas turmas com 13 vagas. A professora não cobra pelas aulas, mas tem despesas e pretende manter o projeto com a venda das peças produzidas pelas alunas. As agulhas foram compradas com recursos próprios e as lãs doadas por empresa fabricante de fios com sede em Gaspar.

"Acredito que levando esse aprendizado às reeducandas - que têm poucas oportunidades e visibilidade na sociedade - possamos despertar um olhar mais humano sobre elas e, quem sabe, transformar aquela prática em ofício, já que é bem difícil encontrar emprego depois que saem de lá", avalia Isabel. Outra iniciativa do conselho naquele estabelecimento foi a doação de toalhas às reeducandas.

Já no presídio masculino, acrescenta Gizela da Rosa May, presidente do Conselho, foram adquiridas máquinas de lavar para auxiliar na manutenção da higiene e salubridade dos reeducandos e construído um pátio para os apenados do regime semiaberto. Homens e mulheres segregadas valem-se ainda de medicamentos não fornecidos pelo SUS e alguns exames médicos de caráter urgência/emergência patrocinados pelo conselho, assim como de assistência e amparo quando conquistam a liberdade e retornam para suas cidades de origem, com pagamento de transporte e alimentação.

 

Fotos: Divulgação/Conselho da Comunidade de Tubarão
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)
Textos: Américo Wisbeck, Ângelo Medeiros, Daniela Pacheco Costa e Sandra de Araujo