Pular para o conteúdo

Lustres do antigo Pleno do TJ são reinstalados no hall do pavimento HS da Torre I

24/01/2018 09:52
9438 visualizações

O Tribunal de Justiça, em iniciativa que demonstra o compromisso em resgatar a memória do Poder Judiciário de Santa Catarina, instalou nesta quarta-feira (24/01) três lustres antigos - que por muitos anos ornaram o então Pleno do TJ, no 10º andar deste prédio - no hall dos elevadores do HS da Torre I. As peças deixaram seu local de origem ainda em 2010, por ocasião da reforma global daquele espaço. Acondicionadas no Museu do Judiciário, chamaram a atenção do desembargador Sérgio Izidoro Heil, 2º vice-presidente do TJ, que levou ao gabinete da presidência a sugestão para seu reaproveitamento.

A Diretoria de Engenharia e Arquitetura (DEA) foi quem providenciou a completa restauração das luminárias, que consistiu na limpeza detalhada de suas peças de vidro, nova cromagem das partes metálicas que se encontravam oxidadas e troca completa de fiação, bem como substituição de suas lâmpadas por outras do tipo LED - mais econômicas e de durabilidade superior à dos modelos comuns. A Diretoria de Documentação e Informações (DDI), através de sua Divisão de Documentação e Memória do Judiciário, promoveu estudos sobre o valor histórico do material e reiterou a importância de sua conservação aos gestores do TJ.

Cada lustre mede 1,80 metro de altura e evidencia traços arquitetônicos e decorativos empregados em ambientes internos no período em que a sede do PJSC foi construída - na década de 70. A escolha do novo local para os antigos lustres não foi por acaso: privilegiou-se o mesmo pavimento em que se encontram o Museu e a Sala de Sessões Ministro Teori Zavascki - ambientes com importantes referências históricas para o Poder Judiciário. Além disso, as luminárias poderão ser visualizadas desde o saguão de entrada do andar térreo da Torre I.

 

Fotos: Alex Cavalcante/Assessoria de Imprensa TJSC
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)
Textos: Américo Wisbeck, Ângelo Medeiros, Daniela Pacheco Costa e Sandra de Araujo