Pular para o conteúdo

DTI e CGInfo incrementam governança em TI para ver TJ crescer no ranking do CNJ

15/01/2018 18:38
7060 visualizações
O Tribunal de Justiça de Santa Catarina ocupa atualmente a 7ª posição entre as cortes do país que mais evoluíram na qualidade da tecnologia de informação, no segmento da Justiça estadual, conforme ranking divulgado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), responsável por aquilatar a evolução da maturidade de governança, gestão e infraestrutura de TI.
 
A Diretoria de Tecnologia da Informação (DTI) e o Conselho Gestor de Tecnologia da Informação (CGInfo) creditam tal resultado aos diversos projetos executados nesta gestão, principalmente aqueles direcionados ao cumprimento de metas e ações impostas pelo CNJ por meio da Resolução 211/2015, entre elas: publicação do Planejamento Estratégico e do Plano Diretor de TI; política de segurança da informação; estruturação do Plano de Continuidade dos Serviços Críticos de TI; elaboração do Plano Anual de Capacitação; e, notadamente, a adequação, por meio da Resolução 35/2017-GP, do processo de aquisição de bens e contratação de serviços de TI às diretrizes estabelecidas pelo CNJ.
 
Considerada como o principal projeto da gestão, a conclusão da implantação do processo eletrônico no 2º grau de jurisdição possibilita agora que todos os processos judiciais sejam autuados e tramitem de forma eletrônica. Projetos associados aos sistemas SAJ de 1º e 2º graus possibilitaram também a integração destes com os sistemas informatizados do Ministério Público, Procuradoria-Geral de Justiça e, em homologação, do TRF-4. Avanços reconhecidos no cenário nacional e que levaram o TJ, ao lado das cortes de São Paulo e Roraima, a participar do projeto piloto de implantação do BNMP - Banco Nacional de Monitoramento de Prisões, em desenvolvimento pelo CNJ.
 
A DTI trabalhou ainda em projetos de ampliação dos sistemas de segurança da informação que trafegam na rede de dados, redundância dos links de comunicação e expansão da capacidade de armazenamento das informações, o que auxiliou na efetivação do bem-sucedido projeto, conduzido pela Corregedoria-Geral da Justiça, de digitalização dos processos judiciais de 1º grau. Associado à melhoria da gestão dos ativos de TI, foram substituídos 1.899 microcomputadores de gabinetes de magistrados, salas de audiência e Tribunais do Júri; distribuídos 117 ultrabooks aos servidores plantonistas e em atividade de correição; e distribuídos 365 telefones celulares e 111 modens 4G. Ainda, foi implantada a nova rede Wi-Fi nas Torres I e II do TJ, na Unidade Presidente Coutinho e na Academia Judicial.
 
Outro projeto estratégico da atual gestão foi a implantação da Central de Serviços Compartilhados, solução corporativa de atendimento de chamados que possibilita o acesso centralizado aos serviços prestados pelas diretorias envolvidas, por intermédio de um portal na intranet onde o usuário efetiva suas solicitações e acompanha seus atendimentos. Também foram concluídos com êxito na atual gestão os projetos de disponibilização do DJE Multicadernos, do novo portal institucional e dos novos portais e-SAJ, de acesso à informação e transparência, da jurisprudência, da Ouvidoria e da Academia Judicial, assim como a disponibilização da nova versão do sistema do Selo de Fiscalização e a implantação do sistema de gestão acadêmica da Academia Judicial.
 
Fotos: Divulgação/Stockvault
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)
Textos: Américo Wisbeck, Ângelo Medeiros, Daniela Pacheco Costa e Sandra de Araujo