Pular para o conteúdo

Com apoio da AJ, comarca de Brusque busca qualificar fluxos para adoção de crianças

06/03/2018 17:05
1910 visualizações

As assistentes sociais da comarca de Brusque Elaine Cristina Mendonça e Isabel Weingartner e a advogada Silvana do Monte Moreira, presidente da Comissão de Adoção do Instituto Brasileiro de Direito de Família e diretora jurídica da Associação Nacional dos Grupos de Adoção, com o apoio da Academia Judicial - AJ, desenvolvem neste momento um projeto de estudo sobre o fluxo de atendimento às gestantes e mães que manifestam o desejo de entregar seus filhos para adoção.

A proposta de estudo resultou de indagações surgidas no exercício profissional das assistentes sociais pesquisadoras, na Vara da Infância e Juventude da comarca de Brusque, justamente pela observação das dificuldades que envolvem o atendimento. Na prática, as profissionais perceberam a necessidade de colaborar para o preparo de todos os envolvidos e assim evitar situações de constrangimento e de exposição às mães.

Por isso, entenderam relevante pensar estratégias no intuito de contribuir para a construção de uma nova cultura que garanta um acolhimento mais qualificado e humanizado, capaz de evitar situações de abandono, procedimentos abortivos e entrega de crianças a terceiros de forma irregular. Para discutir os últimos ajustes do trabalho, já em fase de conclusão, Silvana Moreira, como pesquisadora externa, esteve em Brusque no último dia 21 de fevereiro.

Na oportunidade, a advogada proferiu algumas palavras no encontro mensal do Grupo de Estudos e Apoio à Adoção de Brusque, que também teve a participação de representantes do Grupo de Apoio à Adoção de Blumenau. A visitante expôs a experiência dos grupos do Rio de Janeiro que desenvolvem trabalhos com pretendentes à adoção em processo de habilitação, pais adotantes e crianças e adolescentes adotados.

Ela também abordou a parceria entre grupos de adoção, Poder Judiciário e Ministério Público no interesse de encontrar famílias para crianças com poucas expectativas de adoção. Em breve, o resultado da pesquisa será apresentado para exame de suas aplicações práticas. O projeto faz parte das iniciativas de apoio à pesquisa da Academia Judicial e tem alinhamento estratégico com as ações de melhoria dos serviços e a garantia de humanização do Poder Judiciário no atendimento aos cidadãos catarinenses. 

Fotos: Divulgação/Comarca de Brusque
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)
Textos: Américo Wisbeck, Ângelo Medeiros, Daniela Pacheco Costa e Sandra de Araujo